Inflação desacelera para 0,44% em agosto; em 12 meses, fica em quase 9%

A inflação oficial no Brasil fechou o mês de agosto em 0,44%, o representa desaceleração em relação a julho, 
quando a alta dos preços havia sido de 0,52%. O índice, porém, é o mais alto para meses de agosto desde 2007 (+0,47%). 


Na comparação com o mesmo mês do ano passado (0,22%), a inflação acelerou. 
Com a alta dos preços em agosto, o acumulado no ano é de 5,42%. Em 12 meses, a inflação é de 8,97%, 

pouco acima da registrada em julho (8,74%). 

 

O resultado ainda está muito acima do limite máximo da meta do governo. O objetivo é manter a inflação em 4,5% ao ano, 

mas com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos, ou seja, podendo oscilar de 2,5% a 6,5%. 

Em 2015, a inflação foi de 10,67%.  Os dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) foram divulgados 

nesta sexta-feira (9) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).


O preço dos alimentos, que vem pressionando a inflação, subiu menos em agosto (+0,3%), 

contribuindo para a desaceleração do índice.


O feijão carioca, que havia subido 32,42% em julho, ficou 5,6% mais barato. No ano, porém,
o preço do produto ainda acumula forte aumento de 136,57%.  Outro alimento que barateou no mês,
mas ainda está mais caro no ano, é a batata-inglesa,
cujo preço caiu 8% no mês passado, e subiu 13,39% desde janeiro.


O preço da cebola foi o que mais caiu (-18,46%). Neste ano, o produto acumula queda de 36,95%.