Siga nossas redes sociais →

Dengue: casos de mortes aumentam no Estado de São Paulo

Publicidade

EDMIR CHEDID

Dengue: casos de mortes aumentam no Estado de São Paulo

O deputado Edmir Chedid (União) afirmou que o Estado de São Paulo registrou 66 mortes por dengue neste ano; outros 166 óbitos estão em investigação, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES). Os dados são referentes à quinta-feira (14), quando foram confirmados 214.757 casos para a dengue, com um coeficiente de 483 casos para cada 100 mil habitantes.

Segundo o parlamentar, 44 municípios já decretaram estado de emergência. “Infelizmente, a doença avançou em 134 municípios, de acordo com informações da Secretaria de Estado de Saúde. Entre as que possuem mais óbitos, respectivamente, estão São Paulo (8); Guarulhos (5); Pederneiras, Taubaté e Pindamonhangaba (4); Campinas e Marília (3)”, afirmou.

“A Região Bragantina e o Circuito das Águas aparecem, respectivamente, com um caso de morte em Bragança Paulista e Santo Antonio de Posse. Por isso, para evitar o avanço de casos e óbitos relacionados à doença, o governo divulgou mais três medidas de combate à dengue no Estado – em São Paulo, o estado de emergência foi decretado em 05 de março”, disse.

Entre as medidas, Edmir Chedid declarou que serão compradas 300 mil unidades de repelentes específicos às gestantes – a expectativa é de que sejam atendidas 50 mil mulheres no Estado de São Paulo. A distribuição gratuita será feita durante o período de emergência para todas as grávidas atendidas nos municípios, seja pelo SUS ou pela rede particular de saúde.

“Também é importante destacar a compra de medicamentos e insumos aos municípios. Além disso, o Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na capital, está abrindo 28 leitos de enfermaria e 10 leitos de UTI para atender à demanda dos casos. Toda a rede de leitos hospitalares permanece monitorada para atender aos casos graves e de alta complexidade”, comentou.

Por fim, Edmir Chedid também falou sobre a criação do primeiro comitê estadual de investigação de óbitos por arboviroses urbanas, além de reiterar o pedido de apoio à comunidade no trabalho de combate e erradicação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da febre amarela urbana. “Todos temos responsabilidade neste assunto”, concluiu.

Publicado por

Picture of Diego Perez

Diego Perez

Compartilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Publicidade

Outras notícias