Siga nossas redes sociais →

Alison dos Santos faz um bom retorno às pistas na Polônia, pela Liga Diamante

Publicidade

Alison dos Santos faz um bom retorno às pistas na Polônia, pela Liga Diamante

Alison dos Santos faz um bom retorno às pistas na Polônia, pela Liga Diamante

O brasileiro Alison dos Santos fez uma boa estreia na temporada 2023 neste domingo (16/07) no Memorial Kamila Skolimowska na Silésia, Polônia, oitava etapa da Diamond League, o principal circuito de competições da World Athletics. Alison ficou em terceiro lugar nos 400 m rasos com o tempo de 44.73. Piu tem como melhor marca para os 400 m 44.54. O tempo do paulista de São Joaquim da Barra no seu retorno às pistas após dez meses de ausência é também índice para o Campeonato Mundial de Budapeste, na Hungria, de 19 a 27 de agosto, e índice olímpico. A marca mínima definida pela World Athletics é 45.00.

A vitória nos 400 m na Silésia ficou com o sul-africano Wayde Van Niekerk, com 44.08, recorde do campeonato. Bayapo Ndori, atleta de Botswana, foi o segundo colocado com 44.61. 

Alison dos Santos (Pinheiros-SP), campeão mundial dos 400 m com barreiras no Oregon-2022, Estados Unidos, e medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2021, mostrou que está completamente recuperado de uma artroscopia no joelho direito, realizada em fevereiro, em São Paulo. Vai correr a prova que é sua especialidade – os 400 m com barreiras -, na etapa de Mônaco da Liga Diamante, na sexta-feira (21/07), contra os seus principais adversários na disputa do Mundial de Budapeste.

O treinador Felipe de Siqueira, que está trabalhando com Alison em Chula Vista, Estados Unidos, disse que usaria essa competição da Polônia e a próxima, em Monaco, “duas provas fortes para avaliar o treinamento do Alison, a sua competitividade em alto nível”. 

“Alison está saudável, correu bem, foi uma prova forte, boa, com possíveis medalhistas em Mundial e Olimpíada, com a presença do recordista mundial dos 400 m, caiu como uma luva! Ele está cansado, não era pra ser diferente pela longa viagem. Mas está muito bem, sem nenhuma incomodo muscular pós-prova. Tiramos um peso das costas. Voltamos para o jogo”, afirmou o treinador Felipe de Siqueira, o melhor técnico de esporte individuais de 2022 pelo Prêmio Brasil Olímpico.

Alison fica na Europa até o Mundial e também quer disputar o Pan-Americano de Santiago, no Chile, em outubro e novembro, para defender o seu título de campeão dos 400 m com barreiras. 

Thiago Braz, campeão olímpico do salto com vara nos Jogos do Rio-1016 e medalha de bronze em Tóquio-2021, ficou em sexto lugar na Silésia, mas fez a sua melhor marca da temporada ao saltar 5,71 m na terceira tentativa. Ainda tentou saltar 5,81 m, mas não ultrapassou o sarrafo nessa altura. Em Estocolmo, na Suécia, dia 2 de julho, sob chuva e frio, Thiago ficou em sexto lugar também, mas com 5,62 m.

Nesta temporada, o paulista de Marília passou a treinar com o norte-americano Mitchell Krier,  que orienta a também campeã olímpica Aikaterini Stefanidi – deixou o ucraniano Vitaly Petrov – e mudou para Atenas, na Grécia – morava em Fórmia, na Itália. 

O sueco Armand Mondo Duplants venceu o salto com vara na Silésia com 6,01 m, com o norte-americano Sam Kendricks em segundo, com 5,91 m.

Publicado por

Vitor Hugo

Vitor Hugo

Compartilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Publicidade

Outras notícias